“Para construir nova memória
Sou periferia na História”
(Batucada Popular Carlos Marighella)



SOBRE NÓS


Objetivos

O Centro de Pesquisa e Documentação Histórica Guaianás nasce da vontade de trabalhadoras e trabalhadores, ligados aos movimentos culturais, de pesquisar os bairros de Lajeado, Guaianases, Cidade Tiradentes e São Mateus dos quais são residentes. Tem o intuito de estabelecer um espaço de referência da memória social e de valorização à pesquisa e registro dos bens culturais (material e imaterial), e assim preservar os casos, imagens e histórias presentes sobre sua ocupação urbana e manifestação cultural.
A idealização deste espaço tem seu nascimento em 2012 vinculado ao Movimento Cultural dos Guaianases, mas será em 2014 com o desenvolvimento do seu primeiro projeto “Nas Divisas do Muro da História” com apoio do Programa de Valorização à Iniciativas Culturais (VAI) que a ideia começa a ganhar materialidade. Em 2015 torna-se um Ponto de Cultura com o projeto “Nas Trilhas dos Guaianás” pelo programa Cultura Viva da cidade de São Paulo em conjunto com o Ministério da Cultura. Atualmente desenvolve o projeto “Passagem Funda” com subsídio do Fomento à Periferia da Prefeitura de São Paulo.
O CPDOC Guaianás é organizado por um coletivo de Pesquisadores Periféricos que envolve cientistas sociais, historiadores, fotógrafo, museólogo, entre outros,  e tem como missão pesquisar, assessorar e promover meios de preservação e salvaguarda dos patrimônios materiais e imateriais, bem como registrar, evidenciar e difundir as memórias e narrativas históricas, sociais e culturais de trabalhadoras e trabalhadores, de tal modo que possam se reconhecer enquanto sujeitos históricos, apropriando-se dos processos de transformação e construção de seus territórios.

Idealização

O CPDOC Guaianás pretende ser um espaço de referência de pesquisa, produção teórica, formação popular e difusão da memória, história e cultura dos trabalhadores. Constituído por pesquisadoras e pesquisadores periféricos de diversas áreas comprometidos com a preservação dos patrimônios históricos e das lutas autônomas por uma vida digna das comunidades locais.
Visa a construção popular de um museu de caráter público no extremo leste da cidade de São Paulo para salvaguardar as memórias da classe trabalhadora. De tal modo que possa organizar as iniciativas individuais de memorialistas, genealogistas e colecionadores e fomentar ações populares e coletivas de preservação e salvaguarda das memórias das periferias de São Paulo.

Princípios

1. O CPDOC Guaianás se organiza de modo coletivo, horizontal e autogestionário.
2. Busca a equidade de gênero, raça e sexualidade na composição das, dos e des integrantes do coletivo.
3. Todas as decisões são oriundas do debate deste coletivo.
4. Todo integrante tem o dever de se posicionar e participar de todas as decisões deste coletivo.
5. São garantidas as liberdades de expressão de seus integrantes em todos os debates e decisões internas. Nas representações externas (reuniões, eventos, palestras, rodas de conversa, formações, entre outros) seus integrantes apresentam as decisões e o pensamento do coletivo.
6. Não compactuamos e não estabelecemos quaisquer tipos de parcerias com sujeitos, coletivos, organizações e instituições com posicionamentos e envolvidas em ações de censura, discriminação e preconceitos de classe, raça, gênero e orientações sexuais, intolerância religiosa e de manifestações xenofóbicas contra quaisquer grupos étnicos.
7. As ações deste coletivo tem como premissa a valorização das memórias, histórias e significados de pertencimento da classe trabalhadora em relação a seus territórios.
8. Buscamos promover iniciativas de educação popular com base na transformação social, construção e fortalecimento das diversas identidades das classes trabalhadoras (periféricas, negras, indígenas, regionais, nacionais e de gênero).
9. Não atender quaisquer interesses, individuais ou de viés econômico que tenha intenção em apagar memórias relacionadas a classe trabalhadora.
10. O CPDOC Guaianás entende que toda produção social é realizada por trabalhadores e socializada por meio de fundos públicos ou privados. Desta maneira, aceita o financiamento dessas fontes, desde que não contrarie o conjunto dos princípios estabelecidos e não determine os métodos e linhas de pesquisa e difusão do coletivo.
11. Temos como compromisso a produção de conhecimento, respeitando as particularidades das comunidades, grupos sociais e territórios. Enfatizando e respeitando os conhecimentos populares, científicos, a história oral e de vida dos sujeitos e coletividades.
12. O coletivo se esforça para inventariar e preservar os patrimônios materiais e imateriais assim considerados pelas comunidades com as quais trabalhamos.
13. O CPDOC Guaianás busca a difusão de seus processos e resultados de pesquisa fazendo devolutiva à comunidade, grupos e territórios pesquisados.
14. O coletivo procura se articular e estabelecer relações de parceria e fomento em conjunto com associações, coletivos, organizações e agremiações da sociedade civil que tenham como premissa a valorização das memórias, histórias e patrimônios da periferia
15. O CPDOC Guaianás é apartidário, não possuindo e nem pretendendo ter relações de filiação a quaisquer agremiações político-partidárias.
16. Coloca-se ao lado das classes trabalhadoras a partir de um viés progressista e de transformação social.


Equipe


Coletivo de Pesquisadores Periféricos